sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Empresas do Lucro Real precisam repensar regime em função da EFD-Pis/Cofins

Para 2011, a criação da EFD-Pis/Cofins (Escrituração Fiscal Digital PIS e COFINS), já está causando preocupação para as empresas. “Isso porque a obrigação, que faz parte do projeto SPED – Sistema Público de Escrituração Digital, será muito mais complexa do que a ECD (Escrituração Contábil Digital) e a EFD (Escrituração Fiscal Digital) e exigirá das empresas uma atenção muito maior quanto à parametrização e geração dos dados”, explica o diretor executivo da Confirp Contabilidade, Richard Domingos.

“O que a maioria dos empresários e gestores ainda não sabe é que a EFD-Pis/Cofins causará grandes mudanças nas rotinas ficais e contábeis das empresas, principalmente nas de lucro real, que apuram o PIS e a COFINS pelo regime não-cumulativo (débitos e créditos) deverão possuir software ERP (sistema corporativo integrado com a contabilidade)”, acrescenta Richard Domingos.

Será necessário o sistema ERP porque os débitos e os créditos de PIS e COFINS deverão ser apurados e informados na EFD-Pis/Cofins por “por produto” ou por “item do serviço”. Ou seja, a empresa poderá vender na mesma nota fiscal produtos “tributados” e “não tributados” pelo PIS/COFINS, de modo que a tributação será por item da nota fiscal, com base na sua classificação fiscal e outros parâmetros. Hoje, a apuração do PIS/COFINS é feita pelo total da nota fiscal.

Portanto, para a empresa do Lucro Real é necessário um sistema “parametrizado” para gerar as informações, visto que a tributação do PIS/COFINS será por item da nota fiscal, tanto nas vendas, quanto nas compras.

Para quem emite NF-e (Nota Fiscal Eletrônica), os arquivos XML (por produto) serão importados pelo sistema de contabilidade, para depois gerar o arquivo mensal da EFD-Pis/Cofins.

No tocante aos créditos de PIS/COFINS (que também serão registrados por item da nota fiscal de compra ou de serviço), estes deverão estar integrados com a contabilidade, vinculados à conta contábil, por isso é imprescindível a empresa possuir um sistema ERP.

“É importante acrescentar que, além das informações da apuração do PIS e da COFINS, o Fisco Federal terá acesso ao controle dos estoques e poderá utilizar os dados para fazer cruzamento de informações e fiscalizações”, alerta Richard Domingos.

Essa nova obrigação tem início em 1º de abril, para pessoa jurídica sujeita a acompanhamento econômico-tributário diferenciado e tributada com base no lucro real. Para demais empresas do lucro real o início será em 1º de Julho.

“Assim, podemos concluir que a empresa do Lucro Real que não possuir um sistema integrado (ERP), deverá optar pelo regime do “Lucro Presumido” em 2011, pois, não conseguirá cumprir com as exigências da EFD-Pis/Cofins relacionadas aos registros “por produto” das vendas e dos créditos “por item” das notas fiscais de entradas”, finaliza o diretor executivo da Confirp Contabilidade.

Fonte: Confirp
Enviado para o Blog pelo nosso consultor Luiz Carlos Carneiro

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

ERP e o ano novo

Quanto você gastou no último ano? Como ficou seu orçamento? Tudo azul ou tudo no vermelho? Ou a “coisa” está realmente preta? Alimentação, diversão, lazer, saúde, educação, viagem, houve algum imprevisto? Faz idéia de quanto? Pode consultar seu “caderninho”, a agenda ou mesmo o Excel, mas responda-me sem “achismos”, sem “chutes”, e eu quero valores precisos. Não conseguiu? Está difícil? Vou facilitar um pouco e reformulo  a pergunta: Quanto você gastou no último mês? É possível você responder isso agora?

Talvez somente os mais organizados conseguiriam responder tal pergunta com rapidez e sem titubeios: números afiados na ponta da língua, boa memória ou quem sabe um pouco de sorte. Mas ainda questiono: seus dados são confiáveis? Aí cabe você mesmo checar, porém agora, seu tempo já esgotou.
Quero que você olhe para sua empresa ou para a empresa em que trabalha. Vou refazer a mesma pergunta: Quanto sua empresa gastou no último mês? Faz idéia? Água, luz, telefone, fornecedores, mercadorias, serviços, salários, impostos, financiamentos? As contas ficaram no azul ou no vermelho? Não sabe?

Então vou dificultar um pouquinho: Quanto cada uma dessas contas representaram ou representam nos gastos ou em relação ao faturamento mensal? Me responda agora, rapidamente! Conseguiu?

Se você conseguiu, parabéns! É sinal que seu modelo de gestão (pelo menos o financeiro) está “afiado”. Agora, se você não conseguiu responder a pergunta: ihhh! Complicada está ou certamente ficará a sua situação. Mas, não se desespere! Há ainda tempo de corrigir “as coisas” e não se acomode: vamos agir agora! Segundo o Prof. Roberto Dias “Para usar tecnologia é preciso mudar o jeito de pensar e agir”.  Imediatamente de preferência, pois tempo é dinheiro!

Responder aquela pergunta, algo que à princípio consideramos tão simples em sua grande maioria das vezes, não se torna tarefa fácil para maioria dos empresários, e verdadeiramente não é. Para tal, é necessário dispormos de informações necessárias.

Outro problema é que esquecemos rapidamente o ontem: o dinamismo da vida nos leva a viver intensamente o hoje, o momento e o agora. Não falo especificamente de “carpe dien”, mas de uma infinidade de decisões que somos obrigados a tomar e assim o fazemos sem estarmos verdadeiramente preparados para tal.

Isso é um fenômeno mundial, acontece há todo instante: mundo afora e também no Brasil, comigo com você e principalmente com as empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes – independente do porte. Mercado exigente, elevados custos, absurda carga tributária e a acirrada disputa das grandes empresas pelo mercado são os fatores principais que dificultam manter qualquer negócio, aliados é claro ao incremento de diversas tecnologias a serviço do fisco.

Considerando que o Brasil é um dos maiores berços do empreendedorismo mundial, tal fato me preocupa. E questiono mais uma vez: será que as Micro e Pequenas Empresas (MPE’s) estão preparadas para os desafios que as cercam? Será que os pequenos empreendedores possuem ferramentas de gestão adequadas? Ferramentas que venham contribuir para uma administração profissional? Questões como essas deverão ser respondidas ao longo do ano.

Feliz 2011 Sucesso à todos!

Fonte: Geraldo Zatti
Enviado para o Blog pelo nosso consultor Luiz Carlos Carneiro

Gestão e Evolução: Dez regras clássicas para implementar Business Int...

Gestão e Evolução: Dez regras clássicas para implementar Business Int...: "Por Klaus Hofmann zur Linden - Computerworld / Alemanha Publicada em 11 de janeiro de 2011 - 08h33 É essencial aprender com os erros de out..."

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Como estão seus Backup´s?

Pensei muito em que assunto abordar no primeiro post do Blog da Unigex e resolvi falar sobre as sempre esquecidas cópias de segurança dos dados, mais conhecidos como Backup´s.

Tenho um grande amigo que diz "Existem dois tipos de empresário, os que já perderam e os que ainda vão perder seus dados".

Dito desta forma parece que não há esperança, mas não é bem assim, pode sim existir empresas que nunca passaram, nem passarão pela terrível situação de perder seus preciosos bancos de dados, desde que tenham isto como uma verdadeira prioridade em seus processos.

Quando penso em backups de dados sempre tenho em mente as seguintes perguntas:

  • Tenho a certeza de que os procedimentos de backup estão sendo executados nos períodos e métodos corretos?
  • Tenho a certeza de que se perdesse neste momento os dados que estão no meu sistema conseguiria recuperá-los a partir dos backups existentes?
  • Houve algum teste recente de recuperação de informação a partir dos meus backups?

Se você respondeu NÃO para alguma das 3 perguntas, você está numa Situação de Risco!!!

Nestes 25 anos de trabalho com sistemas empresariais já vi muitas empresas que, por falta de cuidados com o backup tiveram sérios prejuizos. E quando falo em prejuizos não falo só no desembolso de milhares de reais para recuperar um disco rígido, falo também de perda de informações gerenciais, desmotivação da equipe em ter de recuperar informações com muito retrabalho e outros...

Mesmo a Unigex não sendo responsável pelos backup´s dos clientes temos sempre o cuidado de estar sempre lembrando a todos da importância dos mesmos para que ninguém venha a passar por uma situação desastrosa.

E então, como estão seus Backup´s?